13 Agosto, 2009

I - Caminhar no Espírito


São João Maria Vianney, o cura d’Ars, que neste ano se celebram 150 anos da sua morte, dizia: ‘Devemos estar nas mãos do Espírito Santo como uma criancinha de dois anos’.
E porquê de dois anos? Porque é uma idade em que não se questiona nada, em que se é totalmente confiante, em que não se fazem cálculos de nenhuma espécie e o comportamento é padronizado pelo carinho, ternura, afecto e amor.

CAMINHAR NO ESPÍRITO

Caminhar no Espírito é viver debaixo da acção do Espírito Santo, deixando-O actuar no meu coração; e não viver segundo os meus interesses, desejos, vontade ou juízos pessoais.
É eu colaborar e deixar-me conduzir por Ele, eliminando o impedimento aos meus obstáculos e não Lhe opondo resistência. “O fruto do Espírito é amor, alegria, paz, paciência, bondade, benevolência, fé, mansidão e domínio de si mesmo” - Gal 5, 22-25; e não deixar-me caminhar segundo os impulsos humanos ou corporais, mas viver segundo o Espírito - Gal 5, 16-21.
Caminhar no Espírito terá de ser um caminhar: individual de cada um de nós - Eu, tu, e tu; e simultaneamente um caminhar em comunidade. O Senhor diz-nos que ninguém se salva sozinho - “(…) Diariamente, todos juntos frequentavam o Templo e nas suas casas partiam o pão, tomando alimento com alegria e simplicidade de coração”- Act 2, 42- 47.
O Papa S. Leão Magno dizia que ‘cada um é o apoio dos outros e os outros são o nosso apoio’.

MEIOS NECESSÁRIOS

A misericórdia de Deus Pai de Amor oferece-nos gratuitamente os meios necessários. Compete a cada um de nós, pedi-los, recebê-los e usá-los.

SOMOS FILHOS DE DEUS MOVIDOS PELO ESPÍRITO SANTO

Um desses meios consiste em tomar consciência e acreditar que somos realmente filhos do amor de Deus Pai e, por isso, conduzidos pelo Seu Espírito, como nos recorda a Palavra do Filho de Deus: “Todos aqueles que são movidos pelo Espírito de Deus são filhos de Deus. Não recebestes um espírito de escravidão, mas um espírito de adopção, pelo qual chamamos ‘ABBA, PAI!’
O próprio Espírito atesta em união com o nosso espírito que somos filhos de Deus, herdeiros de Deus e co-herdeiros de Cristo” - Rm 8, 14-17;

DESPOJAMENTO DO HOMEM VELHO

Outro meio consiste na necessidade de nos despojarmos do homem velho e na necessidade de nos deixarmos revestir, renovar e transformar em homem novo.

Imaginem uma garrafa de vinho generoso, cujo rótulo é para nós um chamariz, para bebermos um cálice! Mas quantas vezes acontece que mal se chega aos lábios, faz-se uma careta, pois a garrafa que exibia um rótulo de origem, estava falsificado e o que a garrafa retinha era uma zurrapa.
Esta imagem poderá ajudar-nos a compreender a nossa realidade. Todos nós exibimos o rótulo de cristãos, mas a realidade das nossas vidas, atitudes e comportamentos podem não ser os de Cristo, mas os do homem velho que necessita ser renovado.
Temos necessidade de despojarmo-nos do homem velho e deixarmo-nos revestir, renovar e transformar no homem novo.
“Despojai-vos do homem velho em relação ao vosso passado, desse homem corrompido pelas paixões enganadoras, renovai espiritualmente a vossa inteligência e revesti-vos do homem novo, criado em conformidade com Deus na justiça e na santidade verdadeiras” - Ef 4, 22-24.

FIDELIDADE AO ESPÍRITO SANTO

Um outro meio é a necessidade de deixar-mo-nos conduzir na fidelidade e docilidade ao Espírito Santo. “Não entristeçais o Espírito Santo de Deus com o Qual fostes selados para o dia da salvação” – Ef 4, 30.

CAMINHAR COMO FILHOS DA LUZ

Mais outro meio é a necessidade, que se torna responsabilidade, em Caminhar nesta vida Nova como filhos da Luz - “Outrora éreis trevas, mas agora sois luz do Senhor. Comportai-vos como filhos da Luz, porque o fruto da luz consiste na bondade, na justiça e na verdade”- Ef 5,8-9.

QUERER CAMINHAR SEMPRE NO ESPÍRITO

Ainda outro meio é o querer caminhar sempre no Espírito de Deus Pai de Amor. Escutá-Lo e pedir-Lhe incessantemente, com fé, o dom da sabedoria divina que nos mostra a vontade divina de Deus a nosso respeito. Escute-mo-Lo para que possamos crescer. Falemos com Ele. Deixemos que o Senhor nos ame!...

O ESPÍRITO SANTO OFERECE-NOS E OFERECERÁ OS MEIOS E DONS NECESSÁRIOS

Abre-nos um caminho novo e vivo (Hb 8, 10) que nos exorta à firmeza na fé, mas espera a nossa colaboração, o nosso querer, o nosso desejo de santificação e uma Vida Nova espiritual para que a nossa transformação se realize. Isso, por vezes, implica exigências.

NOSSA COLABORAÇÃO

Jesus fala-nos:
I - Jo, 15, 1-8, a alegoria da videira.
Os ramos da videira para darem muitos, bons e saborosos frutos têm de estar ligados ao tronco e este à raiz para receber a seiva e para constituir uma árvore com vida.
Mas os ramos possuem varas que crescem e se multiplicam. Essas varas se não forem cortadas e podadas só prejudicam a videira, tornam-na brava e não dá fruto – as Uvas.
Então, os ramos são podados. O podador corta as varas que só crescem viçosas, mas não produzem rebentos que dêem frutos. Só deixa ficar as varas com rebentos, para que se fortaleçam, fiquem grossas e com vitalidade.
Mas ao cortar as vides daninhas, o local onde foi cortada começa chorar e a cair seiva durante algum tempo. O ramo sofreu, chora, fica privado de varas viçosas, mas daninhas.
Mas essa acção era necessária para que o ramo dê cachos de uvas abundantes, bonitas, gostosas que produzem vinho saboroso e doce.

FAÇAMOS AGORA A COMPARAÇÃO CONNOSCO

Pertencemos ao Corpo Místico de Cristo em que Ele é a cabeça e nós os membros. Formamos um só corpo.
Temos assim a imagem do cacho de uvas. O cacho é constituído por muito bagos, que todos unidos formam um cacho. Só foi possível pela poda que fez sofrer e chorar, mas permitiu aos ramos permanecerem unidos ao tronco e à raiz e não secarem, nem serem lançados ao fogo.
Assim é connosco: A raiz é Deus que nos dá a seiva vivificante da sua graça por intermédio de Cristo Jesus através do Espírito Santo. Para que isso aconteça temos de nos deixar podar de tudo o que constituiu, constitui, ou pode vir a constituir impedimento ao nosso caminhar no Espírito, mesmo que isso nos faça sofrer. Só então daremos frutos abundantes, porque são obra do Espírito.
Só assim, os frutos do caminhar no Espírito se desenvolvem no nosso coração, como o Senhor nos indica em Gálatas: Os Frutos do Espírito Santo no nosso coração “são Caridade – Alegria – Paz – Paciência – Benignidade – Bondade -. Fidelidade – Mansidão – Temperança” - Gal 5, 22. E os Dons do Espírito Santo, em – 1 Cor caps 12, 13 e 14.
II - O Senhor diz-nos que a porta deste caminho é estreita, mas segura e única. “Entrai pela porta estreita, porque é larga a porta e espaçoso o caminho que leva à perdição (…)” - Mt 7, 13 e sg.
Jesus permite que passemos por tribulações, por purificações para abraçarmos o caminho recto, o caminho da obediência, o caminho da verdade e o caminho da vida. [ilustrar com exemplos...]
III - JESUS Chama-nos à necessidade de renunciar. Cf. Mt 16, 24 e sgs.
JESUS pede-nos renúncia quando nos convida a segui-LO, pois para O servir temos de abandonar em nós tudo aquilo que constitui impedimento - [ilustrar com exemplos...].
O fogo de amor que existe em nós fruto do Espírito de Cristo Jesus não pode ficar apagado ou mortiço. Precisa estar vivo e com altas labaredas, qual sinal do nosso crescimento espiritual e testemunho do nosso caminhar no Espírito Santo.
Maria Olga
(Labat nº96 - Julho 2009)

Sem comentários:

Enviar um comentário